Jornal Folha Popular
Image default
Política

Mirela eleita e Universal perdendo votos, confira nossa avaliação dos candidatos estaduais.

Após uma semana das eleições e a decantação dos números obtidos pelos candidatos nas urnas, aponta-se no horizonte o que pode ser o novo ou a manutenção do velho cenário político de Lauro de Freitas.

No dia 03 de outubro publicamos uma análise conjuntural, a partir do olhar de especialistas e figuras do meio político, projetando o possível resultado do dia 07. Erros, acertos e surpresas mais que inesperadas surgiram para esquentar ainda mais os ares da política em Ipitanga.

Em nosso ranking dos 10 mais bem votados, dissemos que a deputada Mirela Macedo (PSD) seria a primeira em número de votos e acertamos. Mirela obteve 12.081 votos, 3 mil a menos que os 15 que projetamos. Contudo, ficou em primeiro. A deputada Mirela conseguiu renovar o mandato, o que muitos duvidaram, porém não demonstrou um grande crescimento de votos apesar de ter contado com mais experiência e um mandato.

Dissemos que Jurailton Santos (PRB), candidato da Universal, seria o segundo em nosso ranking. Apostamos que ele teria 7 mil votos, mas o efeito Temer sobre as candidaturas da Igreja foi devastador. Jurailton teve apenas 3.086 e ficou em quinto lugar.

O candidato Matheus Reis (PPS), que projetamos disputar a 2° colocação no ranking com a aposta de 7 mil votos, alcançou a expectativa, garantiu seu capital político e obteve 9.614. O segundo mais votado na cidade, Matheus não se distanciou do seu potencial de pré-candidato a prefeito em Lauro. Porém, na chapa de Bolsonaro quem se deu bem mesmo foi o Capitão Alden, deputado eleito que obteve em Lauro de Freitas 1.332 votos, ocupando a décima maior votação na cidade.

Acertamos quando dissemos que o candidato Jones Carvalho (PT), herdaria os votos de Joseildo Ramos e obteria algo entorno de 5 mil votos. Jones conseguiu 4.763.

Acertamos também, quando dissemos que o candidato Rosemberg Pinto (PT), alcançaria mais 1.000 votos. Ainda no seio petista, acertamos quando projetamos que Osni teria apenas metade dos 3 mil votos que seus coordenadores de campanha esperavam. Osni obteve 1.660 votos.

A candidata Fabíola Mansur (PSB), como projetamos, contou com o apoio de Carlucho, ultrapassou os mil votos. Cravou 1.124 na urna.

Olívia Santana do PC do B, passeou bonita pelas urnas de Lauro de Freitas. A negona em nossa projeção ultrapassaria os mil votos. Olivia praticamente dobrou, foram 1.980. Vale dizer que a deputada eleita superou as projeções em todo estado, inclusive em Lauro de Freitas.

Quem também nos surpreendeu foi Isaac de Belchior que com uma campanha aparentemente tardia e sem muito espetáculo, conseguiu entrar nos mais votados. Talvez tenha se beneficiado das poucas candidaturas locais lançadas em Lauro de Freitas.

Já Alex Lima, estimávamos uma boa votação, mas o mesmo mostrou competência e explorou bem a casadinha com Bacelar.

Diego Coronel não teve uma votação espetacular, mas merece dar uma observada no potencial das suas lideranças em nossa cidade.

Por: Ricardo Andrade e Mateus dos Santos

Postagens Relacionadas

“Plenária do vereador César é um recado político para 2020”

Ricardo Andrade

A festa de emancipação e os bastidores de 2020

Ricardo Andrade

Mesa Diretora da OAB Subseção Lauro de Freitas empossada em solenidade prestigiada por advogados e sociedade civil

Ricardo Andrade

2 comentários

lindelci estrela 13 de outubro de 2018 at 12:13

Gostei, você é um gênio sempre tendo idéias maravilhosa e nos manter informado é ótimo

Ricardo Andrade 13 de outubro de 2018 at 12:36

Obrigado. Estamos sempre a busca de oferecer o melhor aos nossos leitores.

Deixe Um Comentário

Este site usa cookies, para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia Mais...